Make your own free website on Tripod.com

figu.jpg

HOME | APRESENTAÇÃO | INSTALAÇÕES E AVES | CONTACTOS | NOTICIAS E VANDAS | ARTIGOS | LINKS | CARDUELIS CUCULLATA | CARDUELIS MEGELLANICA | CARDUELIS XANTHOGASTRA | CARDUELIS CARDUELIS | LIVRO DE VISITAS

CARDUELIS CUCULLATA

cardinalitom200.jpg

ORDEM: paseriforme FAMILIA: fringilido GENERO: spinus ou carduelis ESPECIE: cucullata Em 1930 um criador Alemão descobriu uma nova gama de canários, os de factor vermelho existentes na actualidade, todos eles descendem do cruzamento entre um cardinalito (carduelis cucullata) macho e um canário (serinus canaria) fêmea. Feito triste este para o nosso pequeno Spinus, já que foi o principio do seu próprio fim como ave selvagem. Ate essa descoberta o cardinalito era um pássaro que como o nosso pintassilgo (carduelis carduelis) se capturava o macho pela sua beleza e agradável canto. A captura de cardinalitos foi enorme mas com uma diferença crucial do nosso pintassilgo, o habitat natural do cardinalito era muito reduzido. Como o seu nome em Português indica (cardinalito da Venezuela) este e originário da Venezuela, mas à muitos anos a traz também habitava certas zonas da Colômbia, onde infelizmente desde 1947 esta desaparecido ate aos dias de hoje, Actualmente o cardinalito e uma espécie difícil de encontrar em estado selvagem, devido ao seu tamanho e especialmente a sua escassez vêem-se muito raramente em zonas dispersas e sempre em pequenos grupos que muitas das vezes são todos familiares. É a ave mais ameaçada de Venezuela nos dias de hoje, a sua distribuição territorial ocupa menos de 20% duque a 60 anos a traz. Estima-se que a sua população actual seja entre os 600 e 800 exemplares em toda a Venezuela. O cardinalito em estado selvagem inicia a criação na época da chuva (Inverno) devido as condições climáticas da zona. Fazem normalmente uma só postura e os poucos casais que iniciam uma segunda 90% das vezes fracassam, este e um dos grandes problemas, associado a desflorestação e as capturas ilegais que estão levando o cardinalito a sua extinção. Na Venezuela um cardinalito selvagem pode ser vendido entre os 250 e 400 euros e os poucos que chegam a criar em cativeiro ficam os criadores com eles e dificilmente os vendem. O tamanho do cardinalito e de 10 centímetros sendo as fêmeas um pouco mais pequenas, havendo no entanto um exemplar que habita na zona oriental da Venezuela que chega a medir 11 centímetros. A sua alimentação e baseada em sementes , flores de uma grande variedade, ervas selvagens, frutas e pequenos insectos. Habita normalmente zonas entre os 400 e os 1000 metros de altitude, com uma temperatura constante todo o anos entre os 17 e 22 graus e uma humidade muito baixa. Muitas mortes nos cardinalitos dão-se nos dois dias seguintes a compra destes devido a falta de informação do novo dono que no entusiasmo de adquirir as aves se esquece de recolher a máxima e necessária informação sobre as aves adquiridas. O cardinalito e uma ave muito activa, a sua digestão de agua e comida e efectuada em apenas alguns 30 a 40 minutos, para o que alerto muito cuidado pois facilmente então em stress , e uma vês neste estado alguns exemplares mesmo estando com sede são incapazes de beber a agua que tenhem a frente do seu bico, o mesmo se passa com a comida. Na minha opinião a aquisição de cardinalitos deve fazer-se o mais cedo possível, pois quanto mais novas forem as aves melhor e mais facilmente se adaptam as novas instalações. GAIOLA DE CRIAÇÃO O tipo de gaiola que prefiro para os cardinalitos e toda em arame com 80 x 40 x 35 cm com divisória ao meio e poleiros individuais de diferentes diâmetros rede de fundo para evitar que comam as sementes ai depositadas, e assim evitar doenças. (Referencio este tipo de gaiolas dentro doque encontro no mercado e que normalmente são gaiolas para canários ou periquitos, pois o ideal seria o fabrico de gaiolas especificas para spinus, com a distancia dos arames mais reduzidas, possibilidade de modelar o espaço interior, comedouros na zona mais alta e sem molas que tão perigosas são para os cardinalitos, etc. etc. etc. toda esta combinação de vantagens em uma só gaiola.. mas infelizmente este modelo de gaiola não se encontra no mercado, chego a conclusão que os fabricantes de gaiolas ou tenhem poucas ideias ou não sabem ganhar dinheiro, em vês de criarem novidades para vender algo que mais ninguém vende limitam-se a copiar e fabricar todos o mesmo modelo. ALIMENTAÇÃO Durante algum tempo usei uma mistura de sementes elaborada por mim que consistia na seguinte composição semente de saúde 10% alpista 20% aveia 1% cânhamo 3% cardo 3% xicoria 6% leituga branca 10% leituga negra 5% linhaça 3% milho vermelho e branco 3% perihla branca 3% sésamo 1% e girasol muito pequeno 6% mas os resultados desta mistura nunca foram satisfatórios a 100% o que me levou a fazer varias experiências. Actualmente já se começam a comercializar-se misturas especificas para (spinus em gera)l. Mas algumas destas misturas acabam por ser mas para os nossos cardinalitos, pois para serem baratas os fabricantes optam pelas sementes mais baratas e portanto de pior qualidade quando a meu ver deveriam optar por uma qualidade máxima, julgo que qualquer criador não se importa de gastar um pouco mais em qualidade principalmente quando falamos em alimentação para os nossos passarinhos. A alguns anos optei por usar uma mistura para cardinalitos elaborada por um dos maiores especialistas em spinus a (ornitalia) mas também esta não me satisfez pois de um saco de comida para outro aviam grandes diferenças, foi então a vês de experimentar a prestige blatner da versele-laga, mistura esta que utilizo ate aos dias de hoje. Esta mistura e uma das melhores encontradas actualmente no mercado para os cardinalitos, isto na minha opinião, pois desde então a forma e o bem estar das minhas aves melhorou significativamente, o que mais contribui para esta opinião e o facto de as aves comerem todas as sementes que lhes ponho a disposição, o que quer dizer que a elas (aves) esta mistura de sementes também lhes agrada, para alem da mistura tenhem sempre a disposição um comedouro só com alpista e um com granulado. ALIMENTAÇÃO DURANTE A CRIAÇÃO Durante o período de criação alem do já mencionado utilizo papa seca da que se utiliza para canários. A típica gema de ovo cozido e muito indigesta para os cardinalitos, se o que pretendemos e aumentar proteína na alimentação das nossas aves jovens então há produtos que cumprem perfeitamente esta função e são muito menos indigestas para as aves. Nos anos que tenho como criador nunca tive necessidade de aumentar os níveis de proteína para que os meus cardinalitos jovens nasçam e cresçam com plena saúde e vigor e assim permaneçam ao longo da vida. Juntar um pouco de girassol muito pequeno demolhado, ou sementes germinadas e mais que suficiente. Mas muita atenção pois as sementes germinadas se não forem devidamente lavadas e desinfectadas na hora de servir as aves pode (É) um foco de contaminação elevado, pois enquanto em germinação criam elevados valores de fungos potencialmente perigosos para as aves, tanto pais como crias Ter sempre muita atenção, pois as sementes germinadas servidas asa aves não devem mais que algumas horas ao dispor destas. ##»»(SE NÃO TEM TEMPO PARA CUIDAR DEVIDAMENTE DO GERMINADO E PREFERÍVEL NÃO USAR)««## ( Muitos criadores dois ou três dias antes do nascimento das crias dão um preventivo (antibiótico) desses que se vendem por ai para ornitologia, a maioria deles elaborados para a industria de larga escala e outros ainda embalados por segundos distribuidores, pois estipular as quantidades a dar a um jovem cardinalito com um ou dois dias de vida não deve ser tarefa fácil, esta pratica ate parece dar bons resultados na ocasião mas muitas aves que passam por este processo em adultos sofrem de esterilidade e normalmente tenhem uma vida muito curta. Um cuidado a ter quando as crias saem do ninho e começam a comer e não lhes faltar sementes bem visíveis assim como papa seca humedecida com verdura (brócolos) bem triturados que ao serem tenrros o comem com mais facilidade Também a que vigiar como se comportam os casais durante as criações, na maioria das vezes as fêmeas quando saem do ninho perseguem o macho, a maioria dos machos não dão de comer as crias, alguns chegam mesmo a roubar do bico da fêmea a comida que e destinada as cria, outros ainda arrancão as penas das fêmeas na tentativa de as tirar do ninho durante o choco para poderem galar de novo, isto não acontece em estado selvagem pois tenhem muito espaço livre mas quando criamos em gaiolas a que improvisar soluções. Um método que utilizo com muitos bons resultados e uma vês que a fêmea tenha posto todos os ovos separo o macho com uma rede para que a fêmea não abandone o ninho e assim crie os filhos em descanso, ate ao dia de anilha-mento (5º ou 6º dia), então ai retiro a rede e deixo que o casal permaneça junto sempre debaixo de uma vigilância atenta da minha parte. Os cardinalitos são uma ave incrível!! Tentem cria-los e vão ver porque tenho tanta paixão em falar desta pequena ave. jmcarduelis