Make your own free website on Tripod.com

figu.jpg

HOME | APRESENTAÇÃO | INSTALAÇÕES E AVES | CONTACTOS | NOTICIAS E VANDAS | ARTIGOS | LINKS | CARDUELIS CUCULLATA | CARDUELIS MEGELLANICA | CARDUELIS XANTHOGASTRA | CARDUELIS CARDUELIS | LIVRO DE VISITAS

CARDUELIS CARDUELIS

jo5.jpg

Carduelis carduelis: A minha (história) com estas maravilhosas aves começou na década de 80, quando uns amigos passarinheiros que chegavam de uma (caçada) onde tinham conseguido capturar cerca de 60 aves, e me oferecerão dois exemplares magníficos, colocados cada um na sua respectiva gaiola com comida e agua era um encanto velos, na manha seguinte tudo tinha caído por terra, um deles estava morto e dois dias mais tarde o outro segui o mesmo caminho, fiquei desolado com a situação, o que teria feito de errado se tinha agua e comida. Alguns dias mais tarde encontrei os amigos que me tinham dado as aves e comentei a situação, à qual me responderão que era normal, um deles dizendo mesmo, (e pá dos 29 com que fique ainda tenho 10 ou 11 vivos eu dou-te outro). Foram estas palavras que me levarão a pensar e tentar descobrir o porque de tão grande mortalidade nos carduelis de captura. Ao longo de 2 anos e centenas de horas de pesquisa na Internet, leitura de livros e revistas, conversas etc. tempo este em que o objectivo não era nenhum ou pelo menos não estava definido. Foi então que numa conversa com um amigo de um amigo imigrante em Itália me disse que era criador de aves (carduelis carduelis major) ou seja pintassilgos, mas isso e possível? Sim, nos em Itália temos vários criadores e com um alto índice de sucesso. Com as dicas recolhidas e mais tarde conversas pela Internet com este novo amigo dei inicio a esta paixão que e a criação de carduelis. Em 1985 construí seis viveiros, fui ter com os amigos passarinheiros e disse-lhes que precisava de seis pintassilgos macho e seis pintassilgos fêmea, os quais me perguntarão logo, para que queres as fêmeas, as fêmeas não servem para nada, disse então vou criar pintassilgos, tu és maluco isso não cria em gaiola. Lá arranjei seis casais e disposto a conseguir tal proeza, nos dois anos que se seguiram nada, nem filhos nem ovos nem ninho nada mesmo, em Fevereiro de 1988 uma das fêmeas morreu, substituía por outra que tinha sido capturada uma semana antes, fêmea esta que em Março começou a mostrar interesse em levar palha para o ninho acabando mesmo por o fazer, não tendo no entanto colocado ovos, mas era um começo pois ainda não havia filhos nem ovos mas já havia ninho, seguiram-se algumas alterações quer a nível de viveiros quer a nível de aves, e em 1990 dos seis casais que tinha para criar dois deles deram-me cinco filhotes três de um casal e dois de outro, um destes casais ainda voltou a por ovos mas não nasceu nada. No ano seguinte, os mesmos casais voltarão a criar e mais um casal dos outros quatro, tirei neste ano 1991 um total de onze filhotes, a alegria era plena, todos quantos me rodeavam ficarão a saber do feito, nos anos seguintes fui cruzando as crias ate obter em 1994 um total de seis casais a criar, (chega da minha historia). Hoje em dia crio vários tipos de carduelis e os métodos que utilizo passo a descreve-los. ALIMENTAÇAO: (Todas as sementes devem de ser de óptima qualidade, é de extrema importância que sejam frescas e isentais de poeiras ou bolores, se estas por qualquer motivo não nos agradarem e de rejeitar independentemente do que o vendedor possa dizer, pois e aqui que esta a saúde das nossas aves). A alimentação das minhas aves durante todo o ano consiste em 70% alpiste e 30% Perrilla num comedouro sempre a descrição, noutro comedouro granulado C15 da nutribird também sempre a descrição, diariamente um comedouro com seis gramas por ave de sementes para carduelis (Prestige da Versele-laga), papa seca misturada com germinado ou legumes ( brócolos, cenoura, pimento, cebola, alho, pepino), bicho da farinha (dois por ave), duas vezes por semana, sementes ( especiais) de cardo mariano, equinacea, camelina sativa, bela da noite, foniopad e chia, uma ou duas vezes por semana. Em relação as vitaminas utilizo duas vezes por semana única e exclusivamente um multivitaminico (Prim) o qual a meu ver satisfaz todos os requisitos necessários para as aves, tenho também sempre a disposição uma mistura de grite, cálcio e carvão vegetal, assim como osso de choco. ( Na agua duas vez por semana colina e uma vez por semana vinagre de maça). Uso este método criado por mim e que tem dado resultados fantásticos. Um método simples, e sem truques. ALIMENTAÇÃO NA CRIAÇÃO: A alimentação que utilizo na criação e exactamente a mesma já descrita em cima, tendo como única alteração as quantidades de sementes para carduelis, (pois as crias também comem) e a papa que passa a ser dada todos os dias e as vezes mais que uma vês por dia. Excepção do multivitaminico que mantenho duas vezes por semana. LOCAL E METODO DE CRIAÇÃO: Tenho duas salas independentes para criação, com 3.50x3.50x2.50 mt. (C. L. A.), as paredes e chão tanto por uma questão de luz como uma boa higiene animal e humana são cobertas em tijoleira branca, as vinte gaiolas de 120x45x45 cms. em cada sala, estão montadas numa estrutura independente da parede, para que poção ser retiradas individualmente caso necessário, a limpeza e feita por sistema de rolo de papel, ( todas as gaiolas estão a uma altura nunca inferior a 40 cms. do chão, para uma boa limpeza e desinfecção do mesmo), aparte destas duas tenho uma sala para quarentena e alguma situação de doença, que ocasionalmente possa surgir, cada uma das salas tem de um dos lados e quase na sua totalidade uma janela para o exterior, ( janela esta que mantenho aberta todo o ano afim de obter um bom arejamento), assim como um extractor de teto, um desumidificador, um humidificador, um purificador de ar e um programador de luz digital que controla quatro lâmpadas florescentes de 120cms. especiais para aves, programador este fundamental no controlo quando chega a altura das criações, assim como no por do sol (fim do dia), pois esta programado para aumentar as horas de luz nos dois messes antes do inicio das criações, passando assim de 10 horas para 16 horas que são as que utilizo enquanto crio, obtendo assim um aumento gradual e regular de luz de 6 minutos por dia. O método de criação que utilizo e que melhor se adapta ao meu propósito, e o que eu chamo de separação ou seja, durante a muda e repouso mantenho os machos separados das fêmeas, em grupos de seis a oito aves por gaiola ate um mês antes das criações, chegada esta data, os machos são colocados cada um na sua gaiola, onde permanecem sozinhos e se tornam donos do território, ao mesmo tempo que (ganhão) cio ao ouvirem os outros cantar, chegada a data de acasalar, coloco uma divisória em rede na gaiola, ficando o macho de um lado e a respectiva fêmea do outro e assim permanecem durante uma semana, ao fim desta semana coloco o ninho do lado onde se encontra a fêmea e material para a sua construção, dois a três dias depois mediante o interesse da fêmea pelo ninho retiro a divisória deixando assim o casal junto, (esta operação deve ser feita sobe a nossa atenta observação, pois por vezes surgem lutas que podem deitar todo o nosso (trabalho) de um ano por agua a baixo), se o casal se der bem deixo que as coisas rolem por elas, se pelo contrario se pegam em lutas volto a colocar a divisória mais uns dias, ate tudo normalizar. Por vezes e por muitos métodos que tentemos os casais na se dão, nesta situação efectua a troca de um deles por outro. Ninhos os ninhos que utilizo são em vime, com um diâmetro de 80 cms. coloco sempre dois ninhos a disposição da fêmea, sempre na parte superior da gaiola um na parte frontal e outro na parte traseira deixando assim alternativa de escolha a fêmea, assim que esta escolhe um retiro o outro. HIGIENE E LIMPEZA ( SAUDE): Quase todos nos quando falamos de higiene e limpeza nos esquecemos por este ou aquele motivo de algo que para mim e fundamental, a renovação do ar. Não vou falar dos cálculos mais ou menos concordantes e que se baseiam em dados científicos, como a quantidade de oxigénio necessário para cada ave, ou a densidade de exemplares por metro cúbico num local e correspondente quantidade de oxigénio necessário, mas os cuidados que temos que ter para evitar dentro de um local fechado um excesso de estancamento de ar e de humidade. Certamente já todos detectamos nas vossas instalações a quantidade de pó mais ou menos nocivo, em função do número de aves que temos. Nunca e demais lembrar que para um bom estado de saúde das aves devemos direccionar os nossos cuidados na higiene, para uma renovação permanente do ar. Devemos abrir as portas ou janelas das nossas instalações pelo menos uma hora por dia, para garantir uma boa troca de ar, tanto no verão como no Inverno. Efectuo limpeza as minhas instalações de quinze em quinze dias, substituição de papel do fundo, substituição de grades, substituição de bebedouros e comedouros, e dois e dois messes substituição de poleiros. (As grades de fundo devem ser lavadas e passadas por fogo, para assim garantirem uma boa desinfecção e matar todos os coccidios que nelas existem). jmcarduelis